Escolha uma Página

3BT – Mais sobre essa tecnologia e como pode te ajudar na sua trip

Decidimos fazer esse post porque repensamos nossas opiniões sobre as pranchas da Bataleon depois usarmos quase que uma temporada toda um shape bem tradicional da Arbor.

Rever não significa que agora não gostamos dessas pranchas que sempre tivemos um carinho, mas a verdade é nossa opinião mudou significativamente.

O uso que nos referimos era de uma Bataleon Boss 154 com bastante frequência na segunda metade da temporada passada e um dos socios do ZR ficou mais de um ano sem andar com ela até recentemente.

Pra quem não é familiarizado com as pranchas da Bataleon, o grande diferencial é a tecnologia 3BT.
O 3BT é uma espécie de “dobra” muito próxima aos pontos de contato, retardando levemente o “grip” das lâminas (edges) com a neve. Mais ou menos como o formato de uma colher

Isso faz grande diferença?
Sim, faz…

E por que decidimos falar dessa prancha agora?
Porque ela se encaixa no perfil de grande parte dos praticantes de snowboard Brasileiros.

Qual é esse perfil?
Aquele praticante “recreativo” que curte o esporte, mas sem grandes aspirações atléticas, são aquelas pessoas que querem se divertir, fazer uma manobra aqui, outra ali, sem a ilusão de se tornarem feras dos parks ou foras de pista; Por outro lado, se você quer espremer até o bagaço da laranja e tirar da prancha toda a performance digna de um profissional, provavelmente as Bataleon não são a melhor opção.

Explicamos:

Estamos falando especificamente da Bataleon Boss, mas levando em consideração que todo o lineup da marca é de pranchas CAMBER, pois, até onde vai nosso conhecimento a Bataleon não fabrica pranchas Rocker ou Híbridas. De qualquer forma, a avaliação é sobre o 3BT e não sobre o Camber exatamente.

Enfim, aqui começa nossa “review”… Por ser Camber acreditavamos que ela teria a mesma estabilidade de qualquer outra prancha com esse perfil, mas não, não tem… Como não vimos isso antes? Talvez porque não tivemos a oportunidade de compará-la com mais atenção no ano passado.

A estabilidade de uma prancha Traditional Camber como a Arbor West Mark é muito superior, isso é indiscutível e se torna mais evidente quando estamos falando de Park, claro que essa instabilidade pode ser sentida em manobras fora do Park também, mas isso não vem ao caso agora.

O 3BT faz com que haja um certo “delay”, uma demora na estabilização da prancha no que se chama “Run in” ou “approach”, ou se quiser ser ainda mais técnico: “setup turns”. Um rider expert talvez nem sinta essa diferença ou não estaria aqui “reclamando” desse atraso (delay), mas nós, simples mortais sim sentimos a diferença e essa diferença pode atrapalhar bastante se você planeja evoluir no freestyle.

Mas vamos ao que interessa, o que ela tem de bom?!

Apesar de não ter a estabilidade da Traditional Camber, ainda é uma prancha Camber, ou seja, mais estável que os outros shapes (Rocker / Hybrid) e além disso conta com a tecnologia que permite troca de edges (lados) muito mais rápida e com menos esforço.

O que o 3BT muda na nossa vida?

Movimentos mais rápidos na iniciação das curvas;

Menos esforço na transição dos S’s (curvas);

Menos chances de cravar as laterais da prancha (edges) o que causa quedas frequentes;

Permite movimentos mais suaves que resultam em menos energia muscular desperdiçada;

É uma prancha “playful” o que na definição literal significa “funny not serious”, ou seja, serve pra quem quer se divertir ao invés de qualquer outra coisa

Se você é esse tipo de rider, que vê em cada viagem uma oportunidade pra evoluir e aprender coisas novas, mas sobretudo está lá pra se divertir, essa marca pode ser a sua melhor amiga.

Algumas sugestões:

TWIN SHAPES

BATALEON BOSS

BATALEON EVIL TWIN

BATALEON GLOBAL WARMER

Categorias

Veja mais em Informações de Equipamentos:

Nenhum resultado encontrado

A página que você solicitou não foi encontrada. Tente refinar sua pesquisa, ou use a navegação acima para localizar a postagem.

Compartilhe